“Pedro, o brasileiro iugonostálgico”

Matéria sobre mim no jornal sérvio Kurir, publicada hoje.

Detalhe que o jornalista, Milan Rašević, que é editor-chefe do jornal, errou o meu sobrenome: botou um L onde não tem, como se fosse em espanhol. O problema é que a referência de Brasil para os estrangeiros ainda é “hispânica” e, na dúvida, eles sempre aproximam a cultura lusófona da hispânica, com a qual eles já são familiarizados.

[http://www.kurir-info.rs/susret-u-riju-brazilac-pedro-jugonostalgicar-clanak-1436663]

SUSRET U RIJU: Brazilac Pedro jugonostalgičar

BRAZIL 201413:13, 26.06.2014.

Autor: Milan Rašević,Foto: Dado Đilas

pedro-agilar-rio-de-zaneiro-kurir-susret-1403734788-523367

Vole nas više nego što možemo da zamislimo. Šetnja ulicama Rija uvek je nepredvidiva. Uz obaveznu dozu opreza, naročito u noćnim časovima, špartanje može da vam donese čitav niz svakakvih susreta. Jedan od njih je svakako i onaj sa brazilskim novinarom Pedrom Agilarom. Više nije u struci, pošto priprema doktorat (na državnom fakultetu). Prepoznao nas je čuvši da pričamo srpski i odmah nas pozdravio. Srpski mu je odličan.

– Učio sam vaš jezik u Brazilu kod privatnog profesora iz Subotice. Zavoleo sam vaš narod na prvi pogled. Nakon toga sam nekoliko puta bio u Beogradu – počinje svoju neverovatnu priču Pedro, objašnjavajući da mu prezime na srpskom znači Orlović.
– Napisao sam nekoliko tekstova za B92 prošle godine pod tim pseudonimom jer mi moja redakcija ne bi dozvolila da pišem.

Pedro je prethodnih godina vozom proputovao sve republike bivše Jugoslavije, za šta je odvojio dva meseca svog života.
– Sve te zemlje su prelepe, sutra bih se preselio na Balkan. Ipak, prvo moram da doktoriram, ostalo je u drugom planu.

Koliko voli bivšu Jugoslaviju, svedoči i brojna literatura sa ovih prostora koju poseduje.
– Jedan od dražih suvenira mi je majica s Titovim likom, koju sam kupio u Kumrovcu. Doskora sam čak i pisao blog na internetu koji sam nazvao Jugo-boj. Nažalost, nemam više toliko vremena, ali i dalje volim da pogledam neki vaš dobar film i čujem Bajagu ili Plavi orkestar – završava Pedro ovaj neobičan razgovor.

Kolekcija
POTRAGA ZA DRESOM SFRJ

Pedro Agilar u svojoj kolekciji ima toliko toga vezanog za Jugoslaviju, ali mu fali jedna stvar.
– Nigde ne mogu da nađem dres fudbalske reprezentacije Jugoslavije. Pronašao sam na internetu jedan primerak, ali bila je to loša kopija. Ako ima nekog u Srbiji ko bi mogao da mi pomogne, bio bih mu veoma zahvalan – poručuje Pedro.

Anúncios

Quando o turbofolk encontra o tecnobrega

Gaby Amarantos curtiu isto.

 

(agora, para um momento “Pequena Enciclopédia da Iugoslávia”:

Turbofolk é um termo inventado pelo genial Rambo Amadeus, um dos maiores músicos contemporâneos da ex-Iugoslávia, para designar um estilo de música que predominou na região nos anos 90 e misturava ritmos e instrumentos tradicionais balcânicos com batidas pop e amplificadores potentes – daí o “turbo”. Algumas das cantoras expoentes do turbofolk são a sérvia Ceca e a croata Severina.

No contexto da ex-Yu, o turbofolk ficou muito associado a nacionalistas que cometeram atrocidades de guerra e gângsteres que enriqueceram às custas do mercado negro, inflado com as sanções impostas à Iugoslávia durante as guerras dos anos 90. O visual “thug”, como dos hip-hoppers americanos, com seus cordões de ouro e mulheres peitudas vestidas com estampas de oncinha, faz parte dessa estética.

Se fosse procurar um equivalente brasileiro, o mais próximo seria o tecnobrega, que também parte da música regional e usa artifícios do pop cosmopolita para gerar uma mistura dançante, esfuziante e grandiloqüente, que seduz as massas. No entanto, felizmente o tecnobrega não tem a conotação negativa que o turbofolk tem por causa de sua associação com criminosos.)

Cariocas: vamos participar do filme sobre Belgrado?

Republicado do blog Bem Vindo à Sérvia, do amigo Thiago Ferreira

Hoje, em pleno Dia das Mães, tenho o prazer de publicar aqui no Bem-vindo à Sérvia em primeira mão uma notícia capaz de levar todos os servo-brasileiros a loucura: a comunidade servo-brasileira poderá aparecer no filme Belgrade, de Boris Malagurski! É isso mesmo que você leu: nós, servo-brasileiros, poderemos aparecer no mais novo filme de Boris Malagurski, que será lançado ainda este ano – basta fazermos tudo certinho! Calma, vou explicar, vamos por partes.

O diretor sérvio Boris Malagurski nasceu e foi criado na cidade de Subotica e, em 2005, se mudou para o Canadá, onde abriu a Malagurski Cinema e dirigiu e produziu dois aclamados filmes/documentários: “Kosovo – Can you imagine?” (2009) e “Weight of Chains” (2010). O primeiro trata sobre a dura realidade de terror e de violação dos direitos humanos sofridos pelos sérvios que habitam a província do Kosovo; já o segundo retrata as verdadeiras razões pelas quais a Iugoslávia se dividiu, que são bem diferentes do que a mídia mostra. Em seu atual projeto, Belgrade, Boris Malagurski deseja captar toda a magia de Belgrado, a espontaneidade de seu povo e as circunstâncias históricas que moldaram a capital sérvia e transmiti-las para a tela do cinema de forma a atingir um público ocidental, que está cansado de destinos típicos da Europa, como Londres e Paris, e anseia por conhecer um lugar novo. Um detalhe interessante é que este é o primeiro documentário sobre Belgrado desde a década de 80, quando foi feito um vídeo promocional de Belgrado porque a cidade estava se candidatando para sediar as Olimpíadas de 1992! Assistindo o trailer abaixo, já podemos ver um pouquinho do filme, que com certeza vai ser um sucesso!
Acontece que, há algumas semanas, o colega serbófilo Pedro Aguiar (do blog Yugoboy) enviou a Boris um longo e-mail explicando tudo sobre a comunidade servo-brasileira no Brasil. Dentre outras coisas, citou encontros como o churrasco iugoslavo na praia de Copacabana e como aqui tem muitos brasileiros que se apaixonaram pela Sérvia e por Belgrado especificamente. No final do e-mail, Pedro se oferece para fazer uma contribuição ao filme, que consistiria na filmagem de uma cena em que nós, Belgrade lovers, mostraríamos nosso amor por Belgrado, para mostrar o quão longe essa paixão pela “cidade branca” pode chegar.

E não é que Boris Malagurski respondeu e adorou a ideia? Ele falou que sempre quis visitar o Brasil, que adora o país e que fica muito feliz  de saber que muitos brasileiros amam a terra, a língua e a cultura dele. Disse que, se pudermos fazer um vídeo de brasileiros mostrando seu amor por Belgrado para ele inserir em seu filme sobre a cidade, seria “ABSOLUTAMENTE FANTÁSTICO”! Por incrível que pareça, ele se mostrou realmente empolgado com a ideia!

Após nos serem passados os requisitos de formato de vídeo e som e nos ser dado um prazo, agora nos resta juntar toda a galera servo-brasileira, gravar o material e enviar para Boris Malagurski até meados de junho, porque o fase de produção do filme está prevista para terminar em julho! Tudo ainda está em fase de planejamento, mas já conseguimos o equipamento necessário e logo vamos convocar todos para o dia da gravação, que provavelmente será na primeira semana de junho! Preparem-se!

Aceitamos sugestões sobre o que gravar! Até o momento pensamos em gravar alguns depoimentos de pessoas que já visitaram Belgrado no terraço do Botafogo Praia Shopping (com vista para o Pão de Açúcar), uma cena de um encontro com comida sérvia (talvez de outro churrasco típico) e uma cena com todo mundo na praia com as bandeiras da Sérvia e do Brasil gritando “Volimo Beograd!” ou algo do tipo. Temos que mandar para ele um material bruto com duração máxima de 1 hora para ser editado.

A aparição no filme não é garantida, vai depender da qualidade do material que mandarmos. Mas, com a colaboração e o empenho de todos tenho certeza que Malagurski vai se surpreender ainda mais ao ver as cenas que gravaremos! É a nossa chance de aparecer em uma superprodução cinematográfica que será exibida em dezenas de países sobre a cidade que tanto amamos! É ou não é uma notícia enlouquecedora?

Para mais detalhes, visite:
Site oficial do filme Belgrade – http://www.belgradefilm.com/index.html
Site oficial de Boris Malagurski – http://www.malagurski.com/

Assista também ao vídeo abaixo, que mostra um pouco do primeiro vídeo promocional feito para Belgrado.

Mais um relato de viajante brasileiro na Sérvia

Volto a citar um post do site Mochileiros.com que contém um relato de brasileiro que esteve na Sérvia, desta vez postado em fevereiro deste ano por um turista de Bragança Paulista (SP). Leiam o que ele escreveu e percebam como há muito que nós ainda temos a descobrir sobre esse canto da Europa. (reproduzo o texto na íntegra, todo em <sic>, ou seja, incluindo alguns erros de forma e conteúdo, além de tradução – alguns nomes não estão nem em servo-croata nem em português, mas sim em inglês, o que não faz nenhum sentido)

Estou novamente de viagem, mas quero postar algum relato e colaborar com algum brasileiro que deve estar indo à Sérvia neste momento. E antes de mais nada, fica meu apelo à Equipe de Moderação: acho lamentável que a Sérvia não tenha uma seção só pra ela. Reduzir a Sérvia a um tópico somente… poxa, a Sérvia tem tanta coisa! Quem pensa que o país se resume a Belgrado, engana-se. A Sérvia também tem Nis, Kopaonik (que é um parque nacional, na verdade), Novi Sad, Kragujevac, Subotica…

Mas enfim, farei um breve resumo das principais atrações de Belgrado e também dicas sobre o país (como a necessidade de um visto)!

VISTO
Ainda há necessidade sim de visto! Para alguns países como o México, por exemplo, a Sérvia permite a entrada por até 30 dias. No entanto, para o brasileiro entrar no território sérvio, tem que ter o visto! Para conseguir não tem dificuldades: basta enviar seus documentos (passaporte, foto, comprovante de pagamento e formulário de requerimento do visto preenchido) para Brasília. Se quiser a informação oficial, mande um email para embaixadaservia@terra.com.br com o título “Ref.: Visto” e eles te mandarão todas as informações (quer você seja estudante, turista ou está indo visitar algum parente).

COMO CHEGAR
Eu fui de avião, pela Jat Airways. Paguei algo em torno de 120 euros, voando de Berlim. Há também como chegar de trem, porém o preço é bem salgado. Quem quiser tentar low cost companies, tem a Wizz Air.

Kopaonik

VERÃO/INVERNO
Fui no inverno. E fiz coisas que só poderiam ser feitas no inverno… como a ida ao Parque Nacional de Kopaonik (uma das montanhas de ski na Sérvia). No entanto, perdi a oportunidade de ir aos boat clubs (baladas flutuantes) no rio Danúbio, que só funcionam no verão. No verão, temos também bungee-jump na ilha Ada Ciganlija (uma das ilhas no rio Danúbio) e vôo de balão por Belgrado. Perdi isso!

TRANSPORTE
O meio de locomoção básico em Belgrado são os trans (bondes). Porém, os troleibus também ajudam bastante. O ticket para qualquer um deles custa 60 dinares (60 centavos de euro). A partir de fevereiro de 2012, começou um novo meio de validação dos tickets dentro do tram/ônibus. Agora está mais difícil para burlar, embora não impossível. No entanto, garanto que você não encontrará transporte mais barato que esse em toda a Europa!
PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS

Praça da República/Republic Square/Trg Republike
Principal ponto de encontro dos belgradenses (praticamente todas as linhas de ônibus param lá). Localizada no centro da cidade, é um local onde você matará vários coelhos com uma cajadada só. Além da praça em si (que conta com um monumento do príncipe sérvio Mihailo Obrenović III), ficam localizados nela ainda o Museu Nacional/National Museum, oTeatro Nacional/National Theater e o Centro Cultural (este último é um prédio envidraçado que tem galerias de arte nos andares de cima, um centro de informações turísticas no subsolo e no térreo tem o melhor local para comprar souvenirs – se você quer comprar camisas legais de verdade, compre aqui! Os camelôs só vendem camisas horríveis).

Knez Mihailova
É a rua dos pedestres. É um “calçadão” do lado da Praça da República. Repleta de lojas de roupas, perfumes e sapatos. A rua de cima da Knez Mihailova conta com ótimos pubs (aconselho o Irish Pub). Na rua de baixo tem uns cafés muito bons. Aconselho o Illegal Bar (próxima à Faculdade de Filosofia da Universidade de Belgrado) – o bar é, na verdade, debaixo da livraria. Entre na livraria e pergunte sobre o bar. Eles te indicarão o que aparentemente é um porão. Mas chegando lá você encontra um bar com dois andares, telão, banda etc… Nos dias de jogos é muito bom! Ah!, você ainda pode pegar algum livro para ler, de graça.

Kalemegdan Park e Belgrade Fortress
A Knez Mihailova leva à principal atração de Belgrado: o Kalamegdan Park. O parque é, na verdade, mais mesmo um forte (Belgrade Fortress) que foi utilizado há centenas de anos… Um passeio por lá é obrigatório para qualquer um que vai a Belgrado. Além de uma construção super histórica, de lá você vê o Zemum (bairro histórico na Nova Belgrado) e a confluência dos rios Danúbio e Sava. Além disso, o Kalamegdan Park também conta com o Museu Militar, duas igrejas ortodoxas (Rose Church e Church of St. Petka) e um zoológico (que não tem nada demais). Se pedir informações ao guia dentro da Rose Church, saberá que as pinturas da igreja foram feitas com o concreto ainda fresco (típico das igrejas ortodoxas) e que ali foi um antigo depósito de artefatos militares – é por isso que balas constituem os lustres (a única igreja no mundo com balas em sua constituição).

Saint Sava Temple
Me disseram na Sérvia que é o maior templo cristão ortodoxo no mundo. Se é verdade, não sei. Porém, até mesmo os flyers turísticos que eu recebi confirmavam essa informação. No Natal sérvio (7 de janeiro), as pessoas vão para a frente do templo aguardar a meia-noite. Os ramos de folhas secas que eles levam na mão foram “benzidos” nas igrejas ortodoxas pela cidade e ficarão durante uma semana sob a mesa da copa, para trazer sorte à família (alguns motoristas colocam nos parachoques dos carros). A igreja é linda. Knez Miloša É a rua das embaixadas. É lá também que estão os antigos prédios bombardeados pela OTAN (em 1999).

Zemum e Ušće

Aos que não sabem, Belgrado é divida em Nova e Velha Belgrado. Zemum é um bairro antigo, histórico, na Nova Belgrado. Além de casas com um arquitetura antiga, um calçadão às margens do rio Danúbio, cafés/bares/restaurantes flutuantes, ruas de paralelepípedos, igrejinhas ortodoxas, tem também o que os belgradenses chamam de a melhor panqueca da cidade! Se informe sobre a Panqueca do Pinóquio! Ušće é a região de encontro dos rios… de lá é onde você tem a melhor vista de todo o Belgrade Fortress. Vale ir para tirar uma foto!

Tašmajdan Park
Um dos parques mais bonitos da cidade. Vale à pena uma visita. Junto à ele, tem a Igreja de San Marco, que nunca terminou de ser construída (por fora), mas por dentro é bem bonita.

Igreja de San Marco/St. Mark’s Church
É a segunda principal igreja ortodoxa em Belgrado. Enquanto alguns dizem que ela está em reforma, há quem diga que ela nunca terminou de ser construída. Vale uma visita.

Nikola Pasic Square, Prefeitura de Belgrado e Parlamento Sérvio Como em outros países, o Parlamento nacional é mais um prédio grande com uma arquitetura diferente, estátuas, jardins… Em frente ao Parlamento, tem a Prefeitura e uma praça. Dar um pulo lá para conhecer e tirar umas fotos é válido!

Nikola Tesla Museum
Museu do Nikola Tesla, o homem que aprendeu a como usar a eletricidade. Sem dúvida alguma, você precisa ir lá. Mas o principal: vá lá antes e pergunte sobre os horários de visita dirigida, caso contrário verá simplesmente uns objetos dos quais não entenderá nada. Mas com o guia (tem duas visitas dirigidas por dia, uma em inglês e outra em sérvio) ele liga os objetos e você “interage” com eles. Eu pude tocar a eletricidade, vi raios saindo da minha mão, o cabelo das mulheres subindo e um super transformador jogando raios pela sala inteira. Vale MUITO a pena uma visita guiada! Além disso, há também uma bola dourada com as cinzas do próprio Nikola Tesla – o mais próximo que você chegará dele. Enfim, o museu é bem interessante. Estudante paga meia.

Ada Ciganilija
Uma ilha no rio Danúbio, para aqueles que forem a Belgrado no verão. Tem praia, parques, bares e cafés interessantíssimos. Como eu fui no inverno, só pude aproveitar os cafés. No verão tem bungee-jump e vôo de balão.

Avala Tower e Avala Mountain
Acho que foi o passeio mais top que eu fiz em Belgrado. A Avala Tower fica na Avala Mountain. Subir a montanha à tarde (não muito tarde) pelas trilhas ou pelo asfalto e depois subir na torre é beeem legal. Tive um dos melhores momentos da viagem nesse passeio… o percurso até a torre é bem agradável. Como é afastada da cidade (tem que pegar tram e ônibus), o ar da montanha é bem puro. É comum os belgradenses irem à montanha para fazer um churrasco, passarem o dia, descansarem um pouco… E a vista do torre é incrível! A entrada da torre é 100 dinares (1 euro) – ingresso barato! Estudante paga meia.

E Belgrado ainda reserva muitas outras coisas… mais tarde dou mais dicas (e posto fotos). Falei só as principais. Fiquei na Sérvia um mês! Se estiverem com qualquer dúvida, desde de dinheiro à hospedagem, alimentação etc, podem me perguntar. Terei o maior prazer em responder. Quem quiser me enviar um email é jcmvaldivia@hotmail.com. Abraço!

Vinheta da Mostra de Cine pós-Yu em SP

A belíssima vinheta é também uma melancólica metáfora que reflete o que foi feito do sonho iugoslavo. Linda e triste ao mesmo tempo.

Mostra de Cinema Pós-Iugoslavo em SP

Pena que é em São Paulo. É assim que consigo resumir a sensação de ver a programação fantástica da Mostra de Cinema Pós-Iugoslavo, que começa amanhã (19/4), e que não poderei ver. Os 20 filmes serão exibidos apenas na filial paulistana da Caixa Cultural, na Praça da Sé, e infelizmente não virão para o Rio de Janeiro. É até irônico, já que foi esse mesmo centro cultural que promoveu a censura ao A Serbian Film, no ano passado.

E, além das projeções, haverá mini-cursos, palestras e oficinas com especialistas em cinema e questões dos Bálcãs. Uma delas será da antropóloga Andrea Carolina Schvartz Peres, que já entrevistei, provavelmente a pesquisadora brasileira mais dedicada à realidade balcânica pós-Yu (e também ao Jornalismo Internacional, que é a minha área).

O cineasta sérvio Zoran Đorđević, radicado em Caraguatatuba, também estará presente.

Na programação de filmes, está o maravilhoso Cinema Komunisto, de que já falei aqui no blog, além de jóias da cinematografia ex-Yu, como Karaula (2006, Rajko Grljić) – um filme FANTÁSTICO que sempre passo aqui em casa para os meus amigos – e os já clássicos Underground (1995, Emir Kusturica) e Antes da Chuva (1994, Milčo Mančevski).

É uma pena que não foi incluído o magnífico O Peso das Correntes (2009, Boris Malagurski), mas fica para uma próxima edição do evento.

Esta é uma oportunidade raríssima de conhecer mais a fundo as particularidades do “Oeste dos Bálcãs” (como se convencionou chamar a região da ex-Iugoslávia mais a Albânia, e excluindo a Eslovênia), que são muitas. A organização e a curadoria, a cargo de Raphael Fonseca e Sander Maurano, estão de parabéns. Pena que não virá para o Rio também.

A mostra vai até o domingo, dia 29/4, e a entrada é franca. O site oficial do evento é este: http://www.cinemaposiugoslavo.com .

Mais um blog de viajantes brasileiros nos Bálcãs

Nostalgia da Iugoslávia

Nostalgia da Iugoslávia

Acabo de me deparar com mais um relato de viagem de brasileiros pelos países balcânicos. Trata-se do Fora Adentro, mantido por Angelo Abu e Cecília Rocha. Com um texto muito bem redigido (apesar de um ou outro equívoco de fatos e dados históricos), fotos belíssimas e ilustrações de alta qualidade gráfica, o blog passeia por Macedônia, Bósnia, Cróacia, Albânia e outros países da região, trazendo um olhar bem brazuca para o leitor. Pra quem não está familiarizado com aquele canto do mundo, é mais uma referência muito recomendável.

Não sei se ainda está em atualização: os últimos posts são de janeiro deste ano. Vale muito a visita, a leitura atenta e a apreciação estética.

http://foraadentro.wordpress.com