A Serbian Film – a polêmica

Há um filme circulando há pouco mais de um ano ano em festivais ao redor do mundo que vem causando polêmica por onde passa. Já foi censurado, cortado, mutilado, proibido, banido e elogiado. É de terror. É pornô. E é sérvio.

Chama-se A Serbian film (nada podia ser mais simples, nada podia ser mais óbvio, nada podia ser mais curioso) e é dirigido por Srđan Spasojević (“sârdjã spassoiêvitsch”), um cineasta de 35 anos em seu primeiro trabalho. Ele cita como suas grandes influências diretores como David Cronenberg, John Carpenter e Roman Polanski, todos que deram contribuições ao gênero terror, cada um à sua maneira.

Na distribuição brasileira (da Petrini Filmes), está ganhando o péssimo subtítulo de “Terror Sem Limites” – não sei por que não bastava traduzir como “Um filme sérvio”. O título original é simplesmente Srpski film (sempre com F minúsculo) e o cartaz mostra o contorno do mapa da Sérvia escorrendo sangue sobre um fundo branco. Minimalista e cruel.

Quem já viu o filme (acabou de passar no novo Festival Lume, em São Luís do Maranhão) descreveu como “um dos filmes mais tensos que já vi na vida, senão O mais”; “sempre achei que era lenda urbana, mas qdo vi esse troço…”; disseram que “dá náusea, indignação, asco… mas é bom”.

Ainda não vi, mas será preciso pra conferir se há mesmo razão na controvérsia. Não parece ser do nível do light francês “Irreversível” (tem que ser muito carola-da-Tijuca pra chocar com esse filme, que não tem absolutamente nada de mais), mas sim do sueco “Ett hål i mitt hjärta”, ou “Um Vazio no Meu Coração”, de Lukas Moodysson. Em todas as sessões, mais da metade da platéia saía antes do fim.

Isso tudo, claro, além do simples fato de ser um filme sérvio.

 

O Grupo Estação vai exibir A Serbian Film em sessão extraordinária no Cine Odeon, sábado 23/7 às 22h (Rio de Janeiro). Estarei lá.


Publicado no G1

Censurado na Europa, filme sérvio tem sessão proibida em evento no Rio

A Caixa Econômica Federal proibiu a exibição do filme sérvio “A Serbian Film – Terror sem limites”, do diretor Srdjan Spasojevic, que seria exibido no próximo sábado (23), como parte do festival RioFan, no espaço cultural do banco no Rio de Janeiro.

O longa-metragem de terror já gerou polêmica na Europa, tendo cenas censuradas na Espanha, Reino Unido e Noruega por supostamente mostrar pedofilia e necrofilia.

A organização do RioFan anunciou nesta quinta-feira (21), por meio de nota oficial, que a sessão será transferida para o cinema Odeon, no Centro do Rio, no próprio sábado, às 22h.

“Lamentamos profundamente a decisão. (…) ‘A Serbian Film’ é, sem sombra de dúvida, um dos filmes mais polêmicos de todos os tempos, e não sem razão: é uma obra que questiona os limites da representação cinematográfica e que lida com situações e temas absolutamente condenáveis”, diz a nota do RioFan, que, no entanto, nega que o longa contenha imagens explícitas de pedofilia ou necrofilia.

“Não há, sob qualquer ótica possível, apologia à violência sexual contra mulheres ou menores de idade no filme. São atos absolutamente grotescos e tratados como tal por uma obra que se insere numa tradição de filmes “extremos” – um subgênero do cinema de horror que lida com questões repulsivas de forma radical, com o intuito de buscar o choque e a reflexão nos espectadores”, diz ainda a nota divulgada pelos organizadores do evento, que classificam como uma “surpresa” o veto por parte do banco.

Anúncios